domingo, 19 de fevereiro de 2017

Haters: saiba tudo sobre os inimigos da internet

Do R7*
Os haters estão presentes na maioria das redes sociais Joe Raedle/Getty Images News
Você provavelmente já leu em algum lugar da internet algum comentário falando mal de algo ou alguém, com palavras de ódio e xingamentos. Por ser um hábito tão comum, a internet nomeou esse tipo de internauta de “hater”, que significa algo como “aquele que odeia”.
Os haters são internautas que miram um assunto ou uma pessoa específica e começam a atacar no mundo virtual. O ataque de um hater pode vir de várias maneiras, mas geralmente as provocações são feitas por comentários públicos ou mensagens privadas.
Renato Rovai, doutorando em Ciências da Cultura e da Comunicação na UFABC e professor de Jornalismo Digital na Faculdade Cásper Líbero, explica que as mensagens dos haters são repletas de um fundamentalismo ideológico.
— Os haters são pessoas com ideologias fortes e que não aceitam opiniões divergentes. Para atacar os internautas com ideias diferentes, eles se unem e enviam mensagens de ódio.
Os haters raramente vêm sozinhos. Geralmente, a vítima recebe dezenas, ou até centenas, de mensagens de ódio em resposta a uma opinião dela, uma foto que ela publicou, ou mesmo uma atitude que ela teve no mundo virtual.
Rovai explica que uma atitude comum aos haters é focar os seus esforços em um determinado grupo de internautas que pense de maneira diferente deles.

Os discursos dos haters possuem fundamentalismo ideológico Reprodução
— Existem grupos de internautas com um discurso de ódio fortíssimo contra as feministas, por exemplo. Além de eles mandarem mensagens virtuais, eles se unem em torno de uma ideologia às vezes violenta, apelando para a agressão moral e física.
Discurso de ódio
Nos últimos anos, o número de mensagens de haters aumentou consideravelmente. Não é raro nos depararmos com mensagens atacando o usuário responsável por um vídeo no YouTube, por exemplo,  ou então uma publicação no Facebook.
Para Rovai, a quantidade de haters que existe atualmente é proporcional ao aumento do número de internautas.
— Os haters estão mais presentes atualmente por causa do grande acesso às plataformas de redes quase totalmente globalizadas, como o Facebook. Mas eles existem desde que a internet foi criada, praticamente.
Caneta tecnológica permite escrever em qualquer cor
Além disso, outra explicação plausível para a ascensão dos haters é o próprio discurso de ódio que eles propagam. Sentimentos negativos como raiva, ódio e desprezo fazem sucesso na internet porque conseguem engajar pessoas que pensam de maneira parecida, mesmo que com bem menos intensidade que o hater.

E os trolls?

Outra figura conhecida na internet são os trolls, usuários que querem “causar” em tópicos e acabam chamando a atenção dos internautas. Entretanto, ao contrário dos haters, os trolls não possuem um discurso de ódio e violência.
A diferença primordial entre os haters e os trolls para Rovai é a intenção por trás do comentário.

— Os trolls têm como principal objetivo causar uma bagunça. Seus comentários contem até um pouco de humor por trás, às vezes sem intenções sérias iguais aos haters. Os haters são sempre “anti” alguma coisa.
A melhor maneira de evitar os haters é sendo cauteloso com suas publicações na internet Reprodução/Flickr/John Flinchbaungh
Ou seja: para um troll, a pessoa que não concorda com ele não é um inimigo, é só mais alguém para brincar, um alvo. Enquanto isso, para um hater, alguém que manifesta uma opinião diferente é automaticamente um inimigo.
Solução
Se um usuário começa a ser atacado por haters, não existe uma solução fácil para acabar com o problema. Mesmo que o internauta decida excluir o seu perfil, é possível que o grupo encontre a pessoa de novo.
A melhor solução torna-se a precaução: opiniões muito polêmicas ou revolucionárias podem chamar a atenção de haters e causar problemas ao usuário. Por isso, é recomendável ser cauteloso ao emitir a sua opinião na internet.
Veja as melhores respostas das celebridades para haters nas redes sociais
Se você é vítima dos haters, a melhor atitude possível nessa situação é ignorar. Haters são movidos por fundamentos ideológicos e emoções fortes, e os ataques acabam sendo bastante intensos, mas passageiros. Não dê mais motivos para que eles continuem a mandar mensagens de ódio.
O vício na internet pode fazer com que ataques de haters sejam ainda piores para a vítima. O vídeo de Gary Turk chamado “Look Up” aborda a necessidade que as pessoas têm de se manterem de olhos abaixados, olhando para as telas de seus smartphones. Afastar-se desse vício só será benéfico para você.
Por mais que a internet dê a sensação ao internauta de não estar sendo observado, qualquer conteúdo produzido é visto por pelo menos toda a sua rede de amigos, e pode ser compartilhado para os amigos dos amigos, e assim por diante. Qualquer coisa que você escrever tem o potencial de chamar uma atenção indesejada.
Por isso, não se esqueça de tomar cuidado e tente deixar os haters de fora da sua vida.
* Colaborou Isabella Santoro, estagiária do R7
fonte:r7
Postar um comentário